Beto

 



Saci

 



Matinta

 



Honorato

 

Capelobo

 

Uirapuru (Yuri)

 

Mapinguari

 

Mandioca (Mani)

 

Boto

Pirarucu

Tupã

Jurupari

 


Beto é um adolescente de 17 anos como qualquer outro, mas que guarda a angústia de ter sido abandonado pelo pai sem ao menos tê-lo conhecido. A vida corrida de sua mãe não lhe deixa criar raízes em um único lugar, por isso mesmo, tem amigos espalhados em todos os cantos. Porém, nem as amizades e nem o carinho de sua mãe suprem a lacuna deixada pela ausência paterna. Mas o que Beto não imagina, é que o destino lhe reserva muitas surpresas e muitos mistérios em um universo de lendas amazônicas, que lhe revelarão as suas origens e outras histórias

Saci já não é mais aquele moleque travesso que aprontava por todo canto. Agora é um ancião com mais 400 anos que tem a missão de proteger e aconselhar Beto em sua aventura para descobrir os mistérios que lhe cercam.

Honorato é uma serpente encantada e de bom coração, porém, o sofrimento que os humanos lhe proporcionaram o aprisiona em mágoas e na busca por vingança. Ele é um dos personagens que pode ajudar Beto a salvar sua mãe.

Matinta foi desacreditada e esquecida pelos homens brancos, que a menosprezaram dando-lhe no imaginário a figura de uma velha maltrapilha, a Maty-Taperê, ou Matinta-Pereira, como foi batizada pelos colonizadores, anseia retomar o poder sobre as florestas e resgatar o temor dos homens pelas entidades do folclore. Ela busca ajuda para realizar este desejo e Beto está na sua mira.

Mapinguari: Uma espécie bestial bem conhecida pela sua eterna fome entre as lendas. Devido a sua aparência e tamanho, foi confundido com os grande mamíferos que viviam na terra. Com o tempo, se tornou o resquício de histórias inventadas sobre monstros no armário, pé-grande, dentre outros. Ele luta ao lado da Matinta por uma única promessa, devorar todos os homens que puder.

Mandioca (Mani): A triste história de Mani iniciou no seu nascimento. Mesmo assim, foi considerada um símbolo de esperança e sobrevivência de uma cultura e de sua família. Após inúmeras tragédias, a pequena índia morreu e se transformou em uma linda planta oferendo alimento e proteção. Depois de saber que seu corpo, sangue e história foram violados dia após dia, o espírito da Mani despertou cheio de ódio, buscando vingança contra aqueles que não respeitam as mulheres e a mãe-natureza.

Capelobo: O enorme monstro nem sempre foi ruim, mas as histórias contadas pela Matinta, o fizeram acreditar em seus planos. Mesmo confuso, ele acredita que ser o temível monstro, que um dia foi no imaginário das pessoas, o deixará mais forte.

Boto: Uma vida cercada por mistérios e contradições. Quantas histórias, causos e músicas permeiam a lenda do Boto, mas será que a humanidade sabe as suas reais intenções? Mesmo com medo de revelar sua verdade história, o Boto precisará quebrar sua promessa e arriscar a sua própria história.

Uirapuru (Yuri): Como um descendente direto do lendário pássaro Uirapuru, Yuri se torna amigo e protetor de Beto em sua jornada para revelar o Enigma Verde.

Pirarucu: Os descendentes da Nação dos Nalas foram enganados pelo deus Tupã. Uma vez por ano, um desses descendentes é escolhido para receber a alma de Pirarucu. Percebendo o desejo de vingança, Matinta se aproveitou de Pirarucu prometendo um embate com o próprio deus do trovão.

Tupã: O deus Tupã observa o movimento de Beto desde o dia que ele nasceu. Ele sabe que o menino pode revelar o Enigma Verde. Para não despertar a ira de seus irmãos, principalmente de Jurupari, o deus prefere que seus filhos, entidades e criações tracem o seu próprio destino. Quanto mais houver caos, mais eles precisarão de um deus. E ele estará, pronto para ser adorado e exercer seu papel de divindade.

Jurupari: O deus da escuridão, do pesadelo e do mal presságio tem grande interesse pela jornada de Beto. Assumindo a forma de um poderoso homem, ele segue seus planos entre os homens sem ninguém notar a sua presença.